18 de jun de 2011

Patologia

Perdi-me em mim mesma
Num dia que não existiu
Como um acidente do qual não posso lembrar
Por ter batido fortemente com a cabeça em algum lugar

O mundo em sua pior face
Foi o que me atingiu ferozmente
Instalando uma chaga em minha mente
Uma patologia inscrita em mim

Um vácuo proposital em minhas têmporas
Agravado pela pressão que não havia de ser
Enforcando minha existência tênue
Com as mãos carinhosamente dolorosas de meus pais

15 de mai de 2011

Criança



Que mente tão insana e qual devaneio tão sombrio
Iria recusar a força de um amor tão gentil?
Qual estrela fria, qual brisa nebulosa
Deixaria de notar o corpo divino que se estende nesse lençol celestial?

Debruçada sobre as estrelas mais brilhantes
Uma criança se enche de riso
De felicidade em poeira estelar

Brincando entre os dedos do vento
Ela se infla da mais doce alegria
E expira de satisfação
Sentindo os olhos coçarem de sono

Ficando tonta pela canção de ninar da negra noite
Suavemente é balançada pelas ondas do céu
As nuvens que lhe cobrem de carinho e aconchego
Fazem do alto céu noturno o seu ninho de conforto e paz

6 de mai de 2011

Brilho dos seus olhos


Na manhã ensolarada do brilho dos seus olhos
É onde quero, ao tilintar de suas pálpebras, acordar 
Para a doce vida ao seu lado, meu amor

Encantada com o afago que recebo
Nada falo, pois as palavras estão pairando no ar
Ar que nos cerca e nos enche de vontade
De continuar a se olhar

11 de mar de 2011

Um anjo pousou em minha vida
Tirou as asas das omoplatas
E veio caminhar para sempre
Ao meu lado

2 de fev de 2011

A Outra

Ela era a outra, e se sentiu invisível naquela sala de estar onde estava seu amante e a esposa dele, abraçados enquanto perdoavam um ao outro... Enquanto isso, ela foi se escoando para a porta, querendo sumir o mais rápido possível e ao mesmo tempo querendo estar no lugar da esposa, mas não seria possível. Então ela abriu a porta, que pareceu chorar quando foi aberta, um barulho agudo e esmorecido... Foi sua deixa.